Contratação de médicos: tipos possíveis e a documentação necessária

Publicado em 29 julho, 2020

Atualizado em 22 novembro, 2022 | Leitura: 6 min

Quando falamos em contratação de médicos, vale ressaltar que existe todo um processo burocrático exigido que requer bastante atenção por parte da empresa empregadora. A contratante deve estar a par de todas as normas e protocolos da legislação trabalhista, tributária e previdenciária vigentes para contratar esses funcionários.

Nesse processo, há documentos necessários, bem como exames obrigatórios, já que esses profissionais devem seguir uma série de normas para fazer valer a segurança dos pacientes e demais colaboradores das instituições de saúde.

A seguir, confira os documentos necessários para a contratação de médicos, como se desenvolve esse processo e as principais vantagens dos diferentes formatos de contrato existentes.

Como funciona a contratação de médicos

Diagnosis photo created by DCStudio - Médico lendo documento em papel de contratação de médicos
Imagem: Freepik

Documentos para contratação

Dentre os documentos solicitados pela grande maioria dos hospitais para a contratação de médicos, estão:

  • carteira de identidade;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) – parte com foto e qualificação. Obs.: verificar espaço no contrato e anotações gerais;
  • CPF;
  • título de eleitor, com comprovante de votação na última eleição;
  • comprovante de vacinação atualizado;
  • comprovante de residência com CEP (como conta de luz, gás ou telefone convencional), emitido no máximo há 60 dias;
  • certidão de reservista para homens (dispensa de incorporação, carta-patente ou incorporação de reservistas);
  • certidão de casamento, se a pessoa contratada for casada, ou de nascimento, se solteira (original e cópia). Obs.: quando casado trazer todos os documentos com nome de casado; 
  • PIS/PASEP/Cartão Cidadão; caso não possua, apresentar Declaração de NADA CONSTA do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal (original e cópia);
  • certidão de nascimento de filhos menores de 21 anos ou de até 24 anos se for estudante em curso superior/técnico (neste caso apresentar declaração);
  • carteira de vacinação de dependente com idade inferior a sete anos e declaração de frequência escolar, se superior a essa idade;
  • carteira do conselho e comprovante de pagamento da anuidade ou declaração do conselho de quitação;
  • declaração de bens do imposto de renda;
  • comprovante de escolaridade (comprovante de habilitação e diploma).

Exame médico admissional

Mas antes mesmo de começar a separar os documentos para contratação, o candidato deve passar, obrigatoriamente, por um exame médico admissional, que abrange a análise ocupacional e um exame físico e mental.

E como os médicos serão expostos a riscos ocupacionais, também são exigidos exames complementares, como:

  • Audiometria: analisa a qualidade da audição, a fim de aplicar possíveis adaptações, se necessário, para a execução do trabalho.
  • Espirometria: mede o fluxo de ar das vias aéreas e brônquios (responsáveis pelo transporte do oxigênio para os pulmões) e compara aos resultados encontrados em pessoas saudáveis na mesma faixa etária.
  • Eletrocardiograma: afere o ritmo do coração, o número de batimentos por minuto, além de apontar problemas como arritmias (ritmo anormal do coração), possível sobrecarga das cavidades cardíacas e distúrbios de condução elétrica.
  • Eletroencefalograma: analisa as correntes elétricas do cérebro, por meio de eletrodos colocados no couro cabeludo.
  • Acuidade visual: mede a capacidade funcional da visão e a aptidão em enxergar de forma nítida.
  • Exame cinesiológico funcional: realizado por um fisioterapeuta, identifica o grau de desempenho funcional nos mais diversos sistemas orgânicos, por meio de métodos de avaliação específicos.

Já tem Unimed aprovando a tecnologia do Escala! Saiba mais

Em resumo, todos esses exames servem para avaliar as condições gerais de saúde do candidato ao emprego. E são eles que servirão de base para futuras comparações com exames periódicos, de retorno ao trabalho, de mudança de função ou em caso de demissão. Dessa forma, é possível verificar se a atividade desempenhada no trabalho gerou ou agravou alguma doença.

Sendo assim, o atestado médico admissional é um documento imprescindível para a contratação de médicos, e seus custos devem ser inteiramente cobertos pelo empregador.

Woman doctor photo created by freepik - Médicos lendo documento sobre contratação de médicos
Imagem: Freepik

Tipos de contratação de médicos

  • Tradicional: nesse caso, o médico contratado permanece na instituição por até 44 horas semanais cumprindo tarefas especificadas por seus superiores, recebe o mesmo salário todos os meses e tem direito a diversos benefícios.
  • Remoto: modalidade de trabalho via telemedicina, em que o atendimento médico-paciente ocorre pela internet.
  • Intermitente ou em sobreaviso: o médico contratado recebe por horas ou dias trabalhados, devendo ser convocado com certa antecedência. Mais uma particularidade aqui é que o profissional não é necessariamente obrigado a prestar serviços a apenas uma empresa.
  • Prestador de serviços: o médico prestador de serviços deve ter CNPJ para que possa firmar o contrato com o hospital sem a obrigatoriedade do vínculo empregatício.

Leia também:
Tudo sobre plantões médicos
Gestão financeira para pagamento de plantões médicos
5 erros ao montar uma escala de plantão
Aposentadoria de médico: quais são as regras?

O melhor da tecnologia para a saúde

O processo de contratação de médicos deve ser realizado com muita atenção pela equipe de RH, afinal, esses profissionais são responsáveis por lidar diretamente com o público que precisa de atendimento de saúde.

São eles que levarão experiências boas ou ruins aos usuários, e que estarão diretamente ligados ao nome da sua instituição. Dessa forma, é importante garantir que todas as etapas listadas anteriormente sejam cumpridas, bem como validar toda a documentação entregue.

Mas os cuidados não param por aí. Feita a devida contratação de médicos, é hora de organizar as equipes com eficiência para oferecer o melhor atendimento. E nessa hora o Escala conta com tecnologia de ponta para otimizar os processos. 

Em caso de contratação de médicos no modelo tradicional, nossa ferramenta Escala Jornadas, configurada com a CLT, facilita a criação e publicação das escalas de trabalho respeitando as regras trabalhistas. Já para prestadores de serviços, o Escala Plantões segue as determinações da sua instituição para montar a escala ideal.

Levando em conta variáveis como a demanda e as preferências das equipes, as soluções do Escala otimizam a gestão dos turnos, plantões e folgas. 

E vamos combinar que quanto mais a sua instituição crescer e a demanda aumentar, melhor precisará ser a gestão das equipes. Investir em tecnologia para modernizar o setor traz mais segurança para uma organização sem erros e sobrecarga de funcionários.

Ficou curioso e gostaria de testar a tecnologia do Escala onde você trabalha? Então comece agora! Fale com a nossa equipe e veja como podemos ajudar a sua instituição.

Conteúdos Relacionados

Redação Escala

Textos assinados por nossa equipe especialista em produção de conteúdo e gestão inteligente de trabalho.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter
Assine e receba nossos conteúdos sobre gestão de escalas em primeira mão
Últimas postagens
Principais guias