Integração hospitalar: como usar a tecnologia a seu favor

Publicado em 23 outubro, 2020

Atualizado em 5 setembro, 2022 | Leitura: 6 min

A tecnologia na saúde proporciona mudanças que refletem diretamente na qualidade do serviço prestado. E tudo isso começa na organização interna, que passa fundamentalmente pela integração hospitalar. O termo, que se refere à prática de agregar informações de diferentes setores, resume um desafio constante nas instituições de saúde, que precisam cada vez mais de dados disponíveis facilmente e atualizados em tempo real.

Nesse contexto, investir em uma boa integração hospitalar garante que as decisões sejam tomadas com mais assertividade. Conclusão? Pacientes atendidos com melhor qualidade. Ao centralizar os dados, a integração hospitalar otimiza processos e experiências. 

Mas atenção, pois não estamos falando somente de implementar um ERP (enterprise resource planning ou sistema de gestão integrado). É preciso que os dados gerados nesse software sejam facilmente exportados e integrados com os outros softwares contratados. Caso contrário, a falta de sinergia entre soluções pode levar a problemas como, por exemplo, perda de tempo de colaboradores que recebem um paciente em uma determinada ala, coletam todas as suas informações e precisam repetir o processo em caso de internação, porque os dados não podem ser facilmente compartilhados com os demais setores.

Mas como garantir uma integração hospitalar de qualidade? Veja a seguir.

O que é integração de sistemas?

Photo by Ilya Pavlov on Unsplash - Código de sistema operacional no computador
Imagem: Unsplash

Integrar sistemas é reunir componentes independentes e fazê-los trabalhar em conjunto. Na integração hospitalar funciona assim: se a sua instituição de saúde utiliza softwares diferentes, integrar é conectá-los em um só, sem perder informações valiosas. Isso ajuda a cortar gastos, ganhar produtividade, tomar melhores decisões e aumentar a vantagem competitiva.

Na prática, para entender melhor a funcionalidade da integração de sistemas no seu hospital, pense nos softwares utilizados pelos diferentes setores, de ponta a ponta. Tudo começa com o atendimento, que recebe o paciente, coleta seus dados e, no caso de serviços pagos, abre a solicitação de pagamento. Daí vem a contabilidade, que emite a nota fiscal e acrescenta o valor às receitas do hospital. Depois o financeiro faz uso do registro para calcular impostos e o atendimento encaminha o paciente para a triagem, da onde ele é direcionado ao médico. Após a consulta, passa pela enfermaria ou para a central de exames, e então retorna para o consultório para avaliação final, da onde ainda pode seguir para a internação.

Atendimento, contabilidade, consulta, enfermaria, internação. São diversos os setores por onde o paciente passa durante a rotina comum do hospital. Agora pense que cada um desses setores funciona como uma empresa diferente, coletando, isoladamente, as informações que precisa. Com a integração hospitalar, a informação é gerada uma única vez — e dali já será automaticamente transmitida para todos os outros departamentos.

A importância da integração hospitalar

Veja alguns dos principais benefícios sentidos pelas organizações quando optam pela integração hospitalar.

Dinâmica do fluxo de informações

Até pelo exemplo anterior, você pode estar pensando que o atendimento e a contabilidade são os setores onde os benefícios da integração hospitalar são mais diretamente percebidos. Mas a verdade é que todos os departamentos saem ganhando, especialmente quando o volume de dados é alto. Isso contribui diretamente com o controle de demanda, para manter a operação sem déficits.

Redução de erros

Uma instituição de saúde que opera sem integração de sistemas é, necessariamente, exposta ao erro em regime permanente. Afinal, sem comunicação em tempo real e conhecimento sobre o que está acontecendo nos outros setores, as atividades passam a acontecer “no escuro”. No âmbito hospitalar em que o produto final é, em tese, a satisfação e a tratativa da saúde de seres humanos, erros de integração devem ser evitados a todo e qualquer custo, pois vidas estão em jogo.

Fim da duplicidade de dados

Outro risco que se corre quando as atividades são conduzidas de forma isolada é a geração de dados duplicados. Portanto, com a integração de sistemas e o uso de um ERP eficiente e desenvolvido sob medida, a duplicidade pode ser eliminada, já que o sistema é capaz de cruzar dados de origens distintas.

Controle dos processos

Menos duplicidade e erros, por sua vez, ajudam a monitorar processos como os já destacados envios de eventos trabalhistas e emissão de notas. Mais controle, portanto, é igual a menos tempo perdido e menos exposição a ações fiscalizatórias e multas.

Redução de custos

Ao decidir pela integração hospitalar, a instituição de saúde consegue desenvolver as atividades com um nível de excelência maior e, consequentemente, evitar que se faça duas ou três vezes o mesmo trabalho. Isso torna os projetos e serviços mais econômicos e diminui os custos orçamentários. 

Este assunto é tão importante que falamos sobre ele na Medicina S/A. Vale a leitura!

Como fazer a integração de sistemas para a gestão hospitalar?

O ideal é que as instituições de saúde busquem por soluções únicas que atendam a demanda dos setores e, também, sistemas que possam conversar entre si por meio de APis (application programming interface).

Uma das soluções comumente utilizadas para integrar sistemas e facilitar a gestão é o ERP. Essa categoria de software é desenhada em módulos normalmente instalados gradualmente e de acordo com as necessidades e configurações da empresa.

Por meio da implementação de um ERP você pode automatizar processos, ter maior controle sobre as operações, reduzir fraudes e garantir uma melhor experiência para os colaboradores e pacientes do seu hospital.

Banner gestão de escalas

Escala: a plataforma de gestão de escalas já integrada ao ERP do seu hospital

Instituições de saúde modernas utilizam um grande conjunto de soluções tecnológicas para a execução de rotinas operacionais com alto padrão de qualidade. No entanto, conforme o empreendimento cresce, a infraestrutura de TI passa a ter um grau de complexidade maior, o que pode gerar gargalos na gestão de recursos e dificultar a busca por processos mais eficazes. Nesse sentido, a integração hospitalar pode ser vista como uma alternativa para quem deseja otimizar o fluxo de trabalho.

E quando o assunto é inovação, um dos maiores players da saúde, o Hospital Israelita Albert Einstein, é referência. Tanto é que a entidade criou o seu próprio sistema de gestão de escalas, que pode ser facilmente integrado a soluções de ERP e ponto eletrônico. E sabia que a sua instituição também pode fazer uso da solução do Einstein? Fale conosco e veja como é possível otimizar o controle de jornada e o pagamento de colaboradores em um só sistema que já conversa com toda a sua rede! 

Conteúdos Relacionados

Raphael Tavares

Com 20 anos de experiência no mercado de tecnologia e marketing, Raphael Tavares é o chief revenue officer (CRO) do Escala. É responsável pela integração dos times de Marketing, Vendas e Customer success (CS) da empresa.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.