Comunicação hospitalar: como integrar as equipes

Publicado em 2 setembro, 2020

Atualizado em 5 julho, 2022 | Leitura: 6 min

Trabalhar em uma instituição saudável, organizada e produtiva é o sonho de carreira de qualquer profissional. E para avaliar se o ambiente de trabalho cumpre esses requisitos, um dos aspectos mais importantes a se observar é a comunicação. Sem ela as demandas se perdem e os desentendimentos se tornam constantes. Em uma instituição de saúde então, a comunicação hospitalar é mais do que essencial até para garantir o cuidado que os pacientes precisam.

Definida como a compreensão e o entendimento entre as partes, a comunicação tem enorme importância nos hospitais para gerir a relação entre as equipes médicas, assistenciais e administrativas. O atendimento ao público, comumente repleto de discussões objetivas e protocolares, também demanda uma boa comunicação hospitalar.

Veja mais sobre a importância e como cuidar desse aspecto para garantir a produtividade, eficiência e, principalmente, a qualidade da instituição de saúde.

Imagem de StockSnap por Pixabay - Profissionais de saúde no corredor
Imagem: Pixabay

A importância da comunicação hospitalar

Com operação 24/7, atuação multidisciplinar e atendimento ao público, os hospitais precisam manter uma boa rede de comunicação para evitar erros e conflitos. Do registro de um prontuário à transferência de um paciente ou nas trocas de plantões, em todas essas situações corriqueiras no ambiente hospitalar é preciso haver troca de informações.

Com uma grande interdependência entre os setores, todas as ações devem ser devidamente comunicadas entre médicos, enfermeiros, secretários, recepcionistas etc. Qualquer erro nessas trocas, além de ser visto como falta de profissionalismo, pode gerar processos, prejuízos e afetar diretamente os pacientes. Mas há formas de evitá-los.

Como melhorar a comunicação no ambiente hospitalar

Uma comunicação interequipes eficiente é aquela que oferece transparência e agilidade no fluxo de informações, atualizações e sinalização de trocas. Veja algumas sugestões para chegar lá.

Alinhe os princípios

A primeira etapa da comunicação está relacionada a como a própria instituição se manifesta com os colaboradores. E aí entram a visão, a missão e os valores, que compõem a identidade da organização. A missão é o propósito, a visão é a indicação da onde a entidade pretende chegar e os valores são os princípios que a regem. Esses aspectos servem como um guia para o funcionamento da instituição. Eles devem estar claros para todos e também é útil que estejam visíveis até publicamente.

Manter esses conceitos bem definidos contribui ainda com a entrada de novos funcionários. Durante a prospecção e entrevista de profissionais, os próprios recrutadores conseguem avaliar se existe fit cultural entre o candidato e a instituição, filtrando quem realmente se identifica com a proposta da entidade, prática que pode reduzir a rotatividade.

Imagem de Halcyon Marine Healthcare Systems por Pixabay - Médicos conversando no corredor
Imagem: Pixabay

Promova integrações

Feita uma política interna clara o próximo passo é preparar encontros para promovê-la, ouvir os colaboradores e, também, integrar membros de equipes diferentes. A organização de eventos é uma prática bem-vinda para esses momentos de confraternização, abrindo a possibilidade para que os colaboradores se conheçam melhor, estejam alinhados com os objetivos da instituição e ganhem sensação de pertencimento.

Prepare reuniões objetivas

Estabelecer uma rotina de reuniões é útil para garantir que todos os membros da equipe estejam na mesma página. Mas evite encontros longos e pautas desnecessárias. Defina previamente um limite de tempo para garantir que a conversa seja produtiva. Grupos de especialidades também são úteis para discussão de casos e aperfeiçoamento.

Pense em um canal corporativo

A divulgação de informações pode ocorrer por diversos meios, como jornais e revistas impressas, redes sociais, portais na internet ou até mesmo canal de televisão. Grandes instituições costumam ter esses meios de comunicação interna, para divulgar informações de interesse dos funcionários. 

Evite ruídos

Clareza é uma característica fundamental para qualquer informação que seja emitida. Mas por mais que a pessoa seja clara e objetiva, dúvidas podem surgir. Por isso, ao fazer um comunicado oficial, deixe sempre um canal aberto de comunicação para que sejam enviadas dúvidas, comentários, sugestões. 

Essa prática também contribui para a prevenção dos famosos ruídos, ou seja, informações perdidas ou distorcidas que abrem espaço para burburinhos e desentendimentos. 

E lembre-se de que a comunicação é uma relação de ida e volta, de ouvir e ser ouvido, portanto garanta que as mensagens que chegam por esses canais sejam respondidas, para que as trocas efetivamente aconteçam.

Use a tecnologia como principal aliada na comunicação hospitalar

A tecnologia é hoje um dos maiores facilitadores da comunicação. É possível garantir que as mensagens cheguem rapidamente para centenas de pessoas através de recursos tecnológicos como aplicativos, sistemas em nuvem e softwares variados.

Mas tenha atenção para que essa variedade não se torne um problema, pois conversas paralelas em mais de uma ferramenta estão entre os maiores erros na organização de plantões. O ideal é eleger uma delas para que se torne o meio oficial de comunicação, veja opções.

Imagem de Chokniti Khongchum por Pixabay - Médico escrevendo em prontuário
Imagem: Pixabay

Escala Plantões e Escala Jornadas 

Com resultados comprovados em estudo científico publicado internacionalmente, as soluções do Escala, desenvolvidas no Laboratório de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, otimizam a criação e publicação de escalas de trabalho em poucas horas.

Oferecemos duas ferramentas, que possuem sistema na nuvem e estão disponíveis em interface web e aplicativo móvel: o Escala Plantões, voltado para profissionais liberais, e o Escala Jornadas, destinado a CLTistas, configurado com a legislação. 

Por meio do sistema do Escala, a equipe tem acesso imediato às escalas de trabalho e pode rapidamente visualizar a escala mensal com antecedência, solicitar trocas e folgas. O gestor recebe tudo em tempo real para avaliação. Assim, a própria plataforma se torna um meio oficial da comunicação hospitalar.

Gostaria de conhecer as soluções do Escala? Fale com a nossa equipe e veja como podemos ajudar o seu negócio! E aproveite para conhecer nossos cases de sucesso – do Hospital Israelita Albert Einstein a unidades da Unimed, atendemos grandes players da saúde no Brasil todo.

Desafiadora, a comunicação hospitalar exige cuidado e atenção. Mas se dedicar a ela é uma forma de evitar perder tempo no futuro, uma vez que processos padronizados e organizados minimizam as chances de erros e conflitos. Vale apostar!

Conteúdos Relacionados

Raphael Tavares

Com 20 anos de experiência no mercado de tecnologia e marketing, Raphael Tavares é o chief revenue officer (CRO) do Escala. É responsável pela integração dos times de Marketing, Vendas e Customer success (CS) da empresa.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.