Como calcular dias trabalhados?

Publicado em 24 agosto, 2022

Atualizado em 1 setembro, 2022 | Leitura: 4 min

Mais do que um referencial relevante, saber como calcular dias trabalhados é importante para qualquer empresa porque permite pagar os funcionários de maneira adequada e evitar passivos trabalhistas.

Uma aplicação prática simples e comum aconteceria no caso de uma pessoa que comece um novo emprego ou precise ser desligada durante o mês. A ela, a lei garante o pagamento de salários e benefícios de maneira proporcional.

O cálculo dessas verbas vai passar pela comparação com o salário integral e pela definição do salário por dia ou por hora. O mesmo vale para quem retorna ou inicia um afastamento ou uma licença não remunerada. Saiba mais.

Mulher aprendendo como calcular dias trabalhados no tablet
Imagem: Unsplash

E como calcular dias trabalhados?

Para pensar em como calcular dias trabalhados é preciso saber o modelo de contratação: se o profissional é mensalista ou horista.

O mais comum no mercado de trabalho brasileiro é ser mensalista. Nesse modelo, o trabalhador recebe a remuneração uma vez por mês.  Assim, o valor que ele deverá receber vai depender da quantidade de dias que ele efetivamente trabalhou naquele mês específico.

Lembrando que essa regra não incide dentro da normalidade de uma contratação. Nem todo dia não trabalhado vai gerar desconto de salário. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê o descanso semanal remunerado (DSR): um dia completo de descanso por semana.

Esse cálculo também vai precisar levar em consideração a escala praticada. A mais usual é a 6×1 – seis dias trabalhados, um de descanso, normalmente aos domingos. Mas há diversas outras opções, inclusive para permitir 24 horas de plantão e outras 48 de descanso.

Já o horista é o profissional que recebe o pagamento de acordo com o número de horas trabalhadas. Essa forma de trabalho depende de consentimento entre empregado e empregador e não pode resultar em prejuízo, conforme prevê a CLT.

Salário proporcional

O salário proporcional é o que vai dizer à empresa quanto ela deve pagar para alguém que trabalhou menos do que o mês completo.

O cálculo é simples: basta dividir o salário mensal pelo número de dias do mês. O resultado será o valor de cada dia de trabalho (incluindo o DSR). Depois, é só multiplicar esse valor pelo número de dias efetivamente trabalhados.

Por exemplo:

Imagine uma pessoa que tenha sido contratada no dia 8 de agosto com salário de R$ 3,5 mil. Essa pessoa terá 24 dias pela frente, até a chegada de setembro.

Se trabalhasse agosto inteiro (mês com 31 dias), seu pagamento de cada dia seria R$ 112,90.

Como trabalhou apenas 24 dias, a remuneração será R$ 2.709,67.

Esse cálculo ainda vai variar de acordo com a ocorrência de faltas e de horas extras – as quais terão valor pelo menos 50% mais alto do que a hora normal, conforme prevê a CLT. E ainda serão contabilizadas proporcionalmente para o cálculo do 13º salário e do adicional de férias.

Como evitar erros

Tudo isso que vimos indica como é importante ter uma gestão adequada de escalas. Essa é a forma que a empresa tem para organizar o cumprimento da jornada de trabalho, e saber exatamente quanto cada colaborador tem a receber.

E hoje não é preciso mais se preocupar com planilhas manuais, contato com cada colaborador para confirmar mudanças na escala ou conferência de uma série de documentos quando chega o final do mês para saber quanto realmente foi trabalhado. Tudo isso, que deixa a empresa sujeita a uma série de erros no fechamento, é facilmente prevenido ao adotar uma ferramenta de tecnologia.

O Escala Plantões é uma plataforma com tecnologia única, e por meio dela é possível criar e publicar escalas com agilidade, além de acompanhar em tempo real cada colaborador em sua jornada. Para ajudar na tarefa de como calcular dias trabalhados, a ferramenta conta com a funcionalidade do relatório financeiro, que mostra detalhadamente quanto cada profissional tem a receber de acordo com o que foi trabalhado.

“Eu consigo fechar o meu financeiro hoje em questão de minutos”, relata Roberta Arneiro, diretora técnica do Hospital Beneficente Moacir Micheletto, cliente do Escala Plantões. “Às vezes a gente tinha atraso de pagamento por conta da dificuldade de ter que ficar conferindo a escala, contar a carga horária e pedir a confirmação do médico. Hoje não temos mais isso.”

Quer essa agilidade para o seu trabalho também? Agende uma conversa com nossos consultores e saiba como podemos ajudar o seu negócio!

Conteúdos Relacionados

Redação Escala

Textos assinados por nossa equipe especialista em produção de conteúdo e gestão inteligente de trabalho.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.