Absenteísmo no trabalho: o que é e como reverter

Publicado em 20 julho, 2022

Atualizado em 3 agosto, 2022 | Leitura: 10 min

Os índices de absenteísmo no trabalho dizem muito sobre o andamento da empresa e a satisfação dos colaboradores, aspectos diretamente relacionados à produtividade, divisão e distribuição correta de trabalho entre equipes, bem como à qualidade do ambiente de trabalho.

Afinal de contas, quando uma parte do time está sobrecarregada, a tendência é que esses colaboradores apresentem um elevado nível de insatisfação e faltem com maior frequência às suas obrigações trabalhistas. Isso pode levar os gestores a perderem o controle sobre as escalas de trabalho e de sobreaviso, o que pode refletir negativamente na qualidade dos serviços prestados.

Por isso é fundamental adotar medidas para driblar o absenteísmo no trabalho. Veja a seguir sugestões e saiba mais sobre esse problema.

Desaparecido foto criado por jcomp - Parte de quebra-cabeça montado e uma peça pra fora
Imagem: Freepik

O que é absenteísmo no trabalho?

Absenteísmo é o termo que dá nome às ausências, justificadas ou não, de colaboradores. Ele pode englobar tanto faltas como atrasos. É importante pontuar que deixar de cumprir com a jornada de trabalho um dia ou outro é algo que costuma acontecer até mesmo entre as equipes mais engajadas, por conta de imprevistos e outros motivos. O problema, porém, é quando há absenteísmo excessivo. 

Nesses casos, em geral, o problema atinge funcionários e times que estão sobrecarregados. E as consequências são muitas, indo da insatisfação a menor produtividade, sem contar o clima organizacional da empresa que é diretamente afetado, uma vez que os profissionais que precisam cobrir os ausentes podem se sentir descontentes com a situação, prejudicando toda a escala de trabalho. 

Por isso a atenção a esse indicador, pois empresas com absenteísmo excessivo costumam ter um aumento significativo nos custos de operação – já que haverá mais necessidade de horas extras, por exemplo –, além de funcionários e clientes insatisfeitos. 

Banner horas extras

Como calcular absenteísmo?

1. Comece relacionando o número total de colaboradores com a jornada de trabalho definida para cada um. Vamos tomar como exemplo uma empresa que tenha 20 colaboradores, com jornadas de oito horas diárias, durante 22 dias no mês.

2. Multiplique o número de colaboradores pelas horas trabalhadas diariamente e pelo número de dias do mês. Retomando nosso exemplo, a conta ficaria: 20 x 8 x 22 = 3.520 horas previstas de trabalho no mês.

3. Compute faltas, licenças e atestados. Aqui, vamos utilizar um exemplo de ausência geral, em que os 20 colaboradores perderam dois dias inteiros de trabalho por mês, ou seja, cada colaborador deixou de cumprir 16 horas da jornada, totalizando 320 horas de trabalho perdidas.

4. Faça o cálculo de minutos provenientes de atrasos ou saídas antecipadas, transformando esse tempo em horas. Vamos supor que 10 colaboradores tenham acumulado 30 minutos de atraso cada um. Multiplicando esses números, temos um resultado de 300 minutos. Dividindo o valor por 60, chegamos ao número final de cinco horas perdidas com atrasos.

5. Efetue a soma das 300 horas de trabalho perdidas pelas faltas com as cinco horas geradas pelos atrasos. Temos, assim, 305 horas faltantes e que não foram cumpridas pelos colaboradores. 

6. O último passo é dividir as 305 horas perdidas pelas 3.520 que deveriam ter sido cumpridas, multiplicando o resultado por 100. 

Resultado

O índice de absenteísmo comumente aceito pelas empresas circula entre 3 e 4%. Um resultado maior do que esse representa um grande sinal de alerta. No caso do exemplo que utilizamos, o resultado final seria praticamente o dobro do permitido, um número bastante  preocupante.

Estudar computador foto criado por Drazen Zigic - Moça com a mão na testa demonstrando cansaço
Imagem: Freepik

Tipos de absenteísmo

É importante saber identificar quando essa situação está acontecendo e suas principais causas para evitar que o problema se agrave e afete negativamente a sua instituição. Em geral, o absenteísmo pode ser dividido em:

– voluntário (quando o colaborador não justifica a ausência); 

– por motivo de doença; 

– decorrente de acidente de trabalho ou doença ocupacional; 

– questões legais; 

– compulsório (quando o profissional, por qualquer motivo, não consegue chegar até o local de trabalho).

Causas

Vamos começar pelas questões de saúde, motivo bastante comum para faltas. Nesse aspecto vale destacar que muitas vezes o próprio ambiente corporativo é o responsável pelo surgimento de doenças. Quadros como burnout e depressão têm atingido trabalhadores sobrecarregados, portanto esteja de olho se o clima organizacional tem sido um agravante para essas condições.

Outra causa para o absenteísmo é a falta de motivação e engajamento, que pode afetar a produtividade e fazer com que o colaborador passe a não ir trabalhar. Também pode ser que o problema esteja em uma falta de perspectiva por parte do colaborador. Profissionais visionários desejam crescimento e se percebem que o local no qual atuam não proporciona isso a eles, acabam perdendo o interesse em continuar na empresa, o que gera absenteísmo por tabela.

Por fim, o estresse é uma das maiores causas de absenteísmo no trabalho. Além de manter a atenção no clima organizacional e preparação das equipes dentro de uma cultura focada no respeito e no equilíbrio, sem cobranças por metas inatingíveis, outros benefícios são bastante úteis quando falamos em saúde mental do colaborador. Muitas empresas têm aderido, por exemplo, a uma política de descontos com psicólogos, além do próprio plano de saúde.  

Consequências do absenteísmo no trabalho

A primeira delas é a já citada sobrecarga de trabalho nos colegas, já que eles precisam se reorganizar para cobrir as funções do profissional que se ausenta com frequência, além de continuar dando conta das próprias tarefas. Isso sem contar que a falta de planejamento afeta diretamente a qualidade e o tempo de entrega do serviço, colocando a satisfação dos clientes em xeque. 

Além do mais, caso a ausência aconteça por um longo período de tempo, muitas empresas recorrem a contratações extras. O problema são os investimentos não previstos que a prática gera, relacionados a treinamento, realocação de equipes, contratos temporários etc.

Como lidar com o absenteísmo no trabalho?

Quando o colaborador começa a apresentar queda na produtividade, demonstrar falta de engajamento e comprometimento pelo trabalho, se ausentando com frequência, a empresa deve tomar uma atitude imediatamente. 

Como você acompanhou durante a leitura deste artigo, em alguns casos a insatisfação é fruto das más condições no ambiente de trabalho. No entanto, também é comum que esse comportamento seja influenciado por fatores externos. Seja como for, veja algumas possíveis soluções.

Faça pesquisas de clima

Se a sua empresa não dispõe de um clima saudável, manter a produtividade, reter talentos e diminuir o absenteísmo são objetivos que se tornam praticamente impossíveis. E para oferecer um ambiente favorável ao crescimento e que motive a equipe a alcançar bons resultados, é importante realizar pesquisas de clima regularmente. Elas permitem a identificação de oportunidades na visão dos colaboradores e a elaboração de planos de ação coerentes.

Grupo de trabalho foto criado por standret - Pessoas trabalhando
Imagem: Freepik

Adote uma comunicação transparente

Uma comunicação ineficiente pode causar problemas de relacionamento, afinal, junto com a falta de informações, surgem ruídos (fofocas, especulações, informações incompletas), o que pode afetar diretamente a motivação, bem como levar a atrasos e faltas recorrentes. 

No ambiente organizacional, a comunicação engloba tanto o diálogo quanto a transmissão de informações por meio de veículos como e-mail, telefone, redes sociais e TV corporativas etc. Para ter uma comunicação eficiente, portanto, é necessário entender o perfil dos colaboradores e descobrir qual ferramenta é a mais adequada para a equipe. E, claro, sem deixar faltar a objetividade na transmissão de informações.

Ofereça um plano de carreira

Para os colaboradores que buscam o desenvolvimento e o sucesso profissional, o plano de carreira oferecido pela empresa possui muito valor. Se uma pessoa entende que a organização não é a adequada para atingir esse objetivo ou que não possui um programa de desenvolvimento concreto, com certeza ela apresentará sinais, como atrasos, queda de produtividade, faltas, desmotivação, mau relacionamento com os colegas e insubordinação. 

O plano de carreira deve ser feito pelos gestores com a finalidade de buscar um equilíbrio entre os interesses do profissional e da empresa. A partir do momento em que as expectativas do colaborador são mapeadas, é possível estabelecer metas e criar um plano de desenvolvimento compatível com o objetivo do profissional e da organização. 

Invista em feedbacks constantes

Essa prática gera valor para a empresa na visão do funcionário pois demonstra comprometimento com os resultados, empenho no desenvolvimento da equipe e  reconhecimento pelas metas alcançadas.

Banner gestão de pessoas

Estabeleça políticas de reconhecimento

A falta de reconhecimento é mais um fator bastante ligado ao absenteísmo no trabalho. Portanto, visando a motivação da equipe, é importante que sejam desenvolvidas políticas de reconhecimento voltadas para as necessidades e a percepção de valores dos colaboradores.

Promova qualidade de vida

Um profissional saudável é também mais produtivo. Da oferta de planos de saúde a pequenas ações como promover palestras voltadas para o bem-estar, práticas assim incentivam e promovem o acesso a uma melhor qualidade de vida.

Escala: a solução digital que vai te ajudar a controlar os índices de absenteísmo no trabalho

Ideal para gerenciar escalas, as soluções de Workforce Management do Escala foram desenvolvidas a partir de uma iniciativa do Laboratório de Inovação da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. Oferecemos plataformas em nuvem que otimizam o gerenciamento de plantões e jornadas de trabalho por meio de funcionalidades disponíveis na web ou no aplicativo. 

Por meio do sistema, o organizador cria e publica escalas de trabalho para toda a equipe e também pode montar escalas de sobreaviso eficientes. Assim que a publicação é feita, os colaboradores são notificados, e também acompanham em tempo real casos de faltas ou atrasos, podendo rapidamente se oferecer para trocas e coberturas.

Com a transparência que o Escala oferece, os profissionais conseguem visualizar com antecedência os dias de trabalho e folga. Além do mais, a comunicação referente às escalas fica unificada na ferramenta, evitando a perda de informações. Para completar, o sistema também contribui com os fechamentos, pois armazena os dados de cada funcionário.

Com tantas funcionalidades, tem cliente do Escala que até adota uma política de benefícios a partir do uso da ferramenta. Como é possível acompanhar pela plataforma quanto cada colaborador trabalhou, isso permite oferecer condições diferenciadas a profissionais mais engajados, contribuindo com o reconhecimento e a motivação.

Também tem cliente que viu o total de faltas injustificadas dos funcionários cair pela metade após o uso do Escala. Você pode conferir esse e outros cases de sucesso no nosso estudo de ROI, que mostra como a plataforma ajuda a trazer melhores resultados.

Resolver foto criado por mindandi - Pessoa segurando dominó
Imagem: Freepik

Entendeu por que é importante que a sua empresa se mantenha atenta ao absenteísmo no trabalho? Muitas vezes os gestores só percebem que algo está errado quando os colaboradores apresentam estresse por sobrecarga de trabalho, o problema é que aí já pode ser tarde demais para tomar uma atitude válida. Fique de olho e lembre-se de que mais do que contratar os melhores talentos é preciso criar condições de trabalho justas para mantê-los. Este é o verdadeiro caminho para o sucesso!

Veja como o Escala pode contribuir com a sua empresa

Conteúdos Relacionados

Tatiane Quintiliano

Especialista em escalas de trabalho nos modelos mensalista e horista, acumula mais de 20 anos de experiência em recursos humanos (RH). Tem passagem por multinacionais de grande porte e hoje é a coordenadora de Gente e Gestão do Escala.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

"Eu não tenho mais vai-volta de planilha de Excel, onde a chance de você perder informação é gigantesca. "

Marcio A. Oliveira

Coord. Processos e Operações MDA - Hospital Israelita Albert Einstein