Jornada de trabalho noturno: regras e pontos de atenção

Publicado em 4 janeiro, 2023

Atualizado em 23 janeiro, 2023 | Leitura: 6 min

Os dados mais recentes do governo federal sobre a força de trabalho e os turnos cumpridos indicam que, em 2016, um em cada cinco trabalhadores fazia ao menos uma parte da jornada de trabalho noturno.

Isso significa que cerca de 20 milhões de pessoas – ou 20% da força de trabalho brasileira naquele momento – cumpria todo o expediente ou ao menos parte dele no horário entre 22h e 5h (período, em geral, que constitui a chamada hora noturna).

É uma multidão de gente que precisa de algum cuidado especial. O trabalhador noturno é mais propenso ao estresse, depressão, problemas cardiovasculares e outros distúrbios, além de ter comprometidas as relações sociais e a simples existência de uma rotina saudável. Afinal de contas, temos o nosso ritmo biológico, que entende naturalmente o período sem luz como o de descanso.

E são muitas as profissões afetadas pela chamada sociedade 24 horas. Vale para médicos e policiais, que atuam em longos turnos, até outros como frentistas, que fazem jornada de trabalho noturno de segunda a sábado, por exemplo.

É por esse motivo que a legislação brasileira dedica normas específicas para a jornada de trabalho noturno. É preciso ficar atento a alguns pontos de atenção. Saiba quais.

Photo by JC Gellidon on Unsplash - Homens trabalhando durante jornada de trabalho noturno
Imagem: Unsplash

Jornada de trabalho noturno: como considerar uma?

Em regra, de maneira geral, considera-se noturno o trabalho executado entre as 22 horas de um dia e as 5 horas do dia seguinte. Mas há exceções, como para os trabalhadores rurais. A Lei 5.889/1973 prevê que, na lavoura, o trabalho noturno vai das 21h às 5h. Na pecuária, entre as 20h e as 4h.

Hora noturna regular (em geral): 22h – 5h
Hora noturna rural (lavoura): 21h – 5h
Hora noturna rural (pecuária): 20h – 4h

Vale destacar que o trabalho noturno é proibido para menores de 18 anos, conforme o Art. 404 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). E embora seja preciso considerar convenções coletivas de trabalho, que podem trazer alterações sobre as regras de trabalho noturno dependendo da categoria, a CLT veta a negociação de alguns aspectos. É sempre preciso verificar o que está valendo para a sua categoria.

Aprenda a consultar convenção coletiva de trabalho na internet

Hora noturna

Como a jornada de trabalho noturno é mais desgastante e demanda sacrifícios, a CLT prevê condições mais benéficas para esses trabalhadores.

A primeira delas é que a chamada hora noturna é contabilizada de maneira diferente. O Art. 73 indica que ela será computada em 52 minutos e 30 segundos, e não os tradicionais 60 minutos.

Essa diferenciação vale inclusive para aqueles que fazem horários mistos – por exemplo, quem começa a trabalhar antes das 22h e encerra o turno já sob o horário noturno. Nesse caso, apenas as horas cumpridas após as 22h terão duração menor.

Remuneração

Com todo esse cuidado, é natural que quem trabalha no período noturno tenha também uma remuneração diferente. É o chamado adicional noturno, previsto na cabeça do Art. 73 da CLT.

A norma diz que o trabalho noturno terá remuneração superior à do diurno e, para esse efeito, com um acréscimo de 20% (vinte por cento), pelo menos, sobre a hora diurna. 

Esse direito está, inclusive, na Constituição Federal: o Art. 7º diz: “São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: (…) IX – remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.

No caso dos trabalhadores rurais, o aumento é de 25%, salvo disposição em contrário de convenção coletiva de trabalho da categoria.

O adicional noturno pago com habitualidade ainda vai refletir no pagamento do adicional de férias, 13º salário, aviso-prévio indenizado, FGTS e demais adicionais recebidos conforme a lei trabalhista.

Banner adicional noturno

Hora extra

O trabalhador noturno também tem direito a receber hora extra. Ela será considerada noturna quando o período de trabalho que excede a jornada convencional ocorrer entre as 22h e as 5h do dia seguinte.

Há aqui um detalhe importante: se o trabalhador cumprir sua jornada de trabalho regular no período noturno e apenas as horas extras já após as 5h, essas também deverão contar com o adicional noturno.

Essa regra foi consolidada pela jurisprudência da Justiça do Trabalho e cristalizada na Súmula 60 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

A remuneração da hora extra será, pelo menos, 50% (cinquenta por cento) superior à da hora normal, conforme o Art. 59, parágrafo 1º da CLT.

Intervalo

Aqueles que cumprem jornada de trabalho noturno têm direito aos mesmos intervalos que os demais trabalhadores. A regra é igual, de acordo com a duração de jornada. Essas pausas servem para repouso ou alimentação.

Jornada de trabalho de até 4 horas: sem intervalo
Jornada de trabalho entre 4 horas e 6 horas: 15 minutos de intervalo
Jornada de trabalho de mais de 6 horas: no mínimo 1 hora e no máximo 2 horas de intervalo

E entre uma jornada e outra, o intervalo mínimo deve ser de 11 horas. Saiba mais sobre o intervalo intrajornada (aquela pausa durante o expediente) e interjornada (entre uma jornada e outra) clicando nos links.

A advogada trabalhista Fabiana Salateo, colunista do Escala, ensina no vídeo abaixo todas as regras sobre a jornada de trabalho noturno:

Controle da jornada de trabalho noturno

Para organizadores de escala e gestores pode parecer um desafio contabilizar a jornada de trabalho noturno, com todas as suas especificidades. Contudo, existem tecnologias acessíveis que cuidam dessa organização das equipes de forma prática e respeitando automaticamente os limites válidos para cada trabalhador.

As ferramentas de WFM do Escala são a escolha de muitas instituições com operação ininterrupta, de diferentes segmentos e portes. Criadas por desenvolvedores e plantonistas do Hospital Israelita Albert Einstein, um dos maiores players da saúde – com atuação 24/7 –, as soluções trazem controle na palma da mão.

É possível configurar o sistema com as especificidades de cada colaborador, de horários, condições de pagamento etc. O organizador ainda ganha uma visão completa de todos os setores, identificando em tempo real necessidades de remanejamentos e ganhando a opção de fazê-los rapidamente, também na jornada de trabalho noturno.

Quer saber mais sobre essas facilidades? Fale agora com os nossos especialistas. Entendemos a sua necessidade para saber como ajudar a sua instituição, e você ainda pode testar o Escala gratuitamente. Vem ser digital com a gente!

Atenção! Para gerir seus colaboradores sem erros, mantenha-se atualizado sobre eventuais mudanças na legislação e internas ao seu trabalho – no jurídico da sua empresa, no sindicato da categoria, no conselho regional. Lembramos que este material é de cunho informativo e está sujeito a atualizações. Demais eventualidades e exceções devem ser tratadas junto ao jurídico da sua empresa e ao sindicato da categoria.

Conteúdos Relacionados

Redação Escala

Textos assinados por nossa equipe especialista em produção de conteúdo e gestão inteligente de trabalho.
Todos os posts
Newsletter
Assine e receba nossos conteúdos sobre gestão de escalas em primeira mão
Últimas postagens
Principais guias