O que é people analytics?

Publicado em 13 julho, 2021

Atualizado em 15 março, 2022 | Leitura: 7 min

O conceito de people analytics pode ser facilmente definido como uma metodologia aplicada por líderes de recursos humanos (RH) que combina a tecnologia da análise de dados com a experiência individual de colaboradores. Por meio dele, os gestores têm um melhor entendimento sobre o papel de cada funcionário no negócio, usando dados para a tomada de decisões.

Esse conceito surgiu em 2006, a partir da contratação de Laszlo Bock para o cargo de People Operations na Google. Na época, o intuito era que o consultor realizasse estudos em massa sobre os colaboradores da empresa, e a ideia de usar a tecnologia como aliada nesse processo fez toda a diferença.

Tanto que hoje, mais de dez anos depois, o people analytics caiu no gosto dos times de RH. Também pudera: dados não faltam. Atualmente, a quantidade de usuários ativos na internet já ultrapassa 5,17 bilhões de pessoas ao redor do mundo, segundo relatório da plataforma Domo. E só em 2021, todos esses usuários deixaram o consumo global de dados na casa dos 79 zettabytes, de acordo com a empresa alemã Statista. Então por que não aproveitar todo esse volume de informações para orientar estratégias?

A seguir, levantamos alguns insights para essa aplicação com os colaboradores. Respondemos as principais dúvidas sobre people analytics e como o conceito pode ser incorporado à sua organização e resultar em benefícios.

O que é people analytics?

Business photo created by rawpixel.com - Pessoas conversando e sorrindo, conceito de people analytics
Imagem: Freepik

O conceito de people analytics surgiu com a ideia de big data. Em linhas gerais, consiste na coleta, armazenamento e análise de um volume imenso de dados, para ajudar a entender o comportamento dos colaboradores dentro do ambiente corporativo. Seu objetivo, em geral, é aproveitar todas essas informações para deixar os funcionários mais produtivos, satisfeitos e criativos.

Por meio da implementação bem-sucedida do conceito, alinhada às práticas e análises do departamento de RH, é possível otimizar a força de trabalho e auxiliar profissionais C-Level a tomarem decisões mais assertivas sobre seus colaboradores e equipes.

Assim, o people analytics propõe aplicar os preceitos e principais características do business intelligence (BI) ao setor de RH das empresas. Com isso, a ideia é diminuir a rotatividade de colaboradores e melhorar os índices de atração e retenção de profissionais.

E como se tornar um people analytics?

Em geral, os times de people analytics são compostos por profissionais multidisciplinares e com formações acadêmicas diversas. Essa variedade é buscada para que cada um atue dentro da sua especialidade analisando criticamente o conjunto de dados coletados, para propor soluções mais eficientes.

Quem deseja trabalhar nessa área deve, portanto, buscar um entendimento funcional sobre a importância e a aplicação da inteligência de dados para a gestão de pessoas. Nessa tarefa, alguns cursos online podem contribuir, como:

People Analytics | Coursera | University of Pennsylvania: oferece uma introdução teórica rápida e de fácil acesso, além de possuir uma carga horária razoável, podendo ser realizado em apenas uma semana (ou um dia). O curso conta com três dos melhores professores da Wharton, pioneiros no campo de people analytics, explorando técnicas de ponta usadas para recrutar e reter ótimas pessoas.

Introdução ao People Analytics | Coursera | MIPT: este curso foi elaborado para fornecer uma compreensão do papel dos dados e da tecnologia na gestão do capital humano. Os tópicos são abordados de maneira mais prática e é utilizado o princípio dos 4Ts: tarefa, teoria, técnica e tecnologia. A finalidade é que haja uma conexão com os propósitos de desempenho organizacional, além de uma visão geral das teorias e princípios subjacentes e das ferramentas que ajudam a atingir os objetivos de negócios.

Como o people analytics funciona?

Business photo created by kroshka__nastya - Mulher olhando gráficos de people analytics em computador
Imagem: Freepik

Para ser bem-sucedido, o processo de people analytics deve considerar a implementação de ferramentas analíticas capazes de coletar dados de modo eficiente e oferecer reports e estudos completos e ágeis. Para isso, as seguintes estratégias podem contribuir:

Definição de objetivos

Num primeiro momento, é importante que o setor de RH defina uma meta, considerando as melhorias que precisam ser feitas e o tempo hábil para tal. É importante que os objetivos sejam definidos de acordo com a metodologia de OKR (objetivos e resultados chave), que acompanha os resultados de modo mais próximo e eficiente.

Coleta de dados

Aqui, além de decidir as ferramentas que serão utilizadas para a coleta, também é o momento em que serão analisadas todas as informações dos colaboradores, seja por meio de currículo, redes sociais ou do próprio sistema de gestão da organização. Os dados coletados devem ser estratégicos e alinhados com os objetivos a serem alcançados. 

Análise e intervenção

Nesta etapa, os dados coletados devem ser repassados aos profissionais de RH, de modo que estes possam construir análises e fornecer subsídios para que os gestores tenham uma visão ampla do capital humano da empresa. Pense que quanto mais variados forem os dados coletados, mais amplas serão as possibilidades de análise.

Hora da mudança

Esta etapa final comprime a tomada de decisão perante os resultados e análises realizados durante o processo de people analytics. A partir dos dados analisados e das respostas aos cálculos, você poderá tomar decisões com mais embasamento para a gestão da organização.

Vantagens do uso de people analytics

Business photo created by dashu83 | Papéis amassados posicionados lado a lado. Há dois brancos à direita e dois brancos à esquerda de um amarelo, com um bocal e fechos de desenhados ao redor, passando o conceito de boa ideia.
Imagem: Freepik

Redução de custos

A redução de custos é uma preocupação constante de qualquer organização e o people analytics pode contribuir muito para isso. Afinal, a metodologia ajuda na contratação de profissionais já alinhados aos valores e cultura da empresa, diminuindo a rotatividade e evitando o desperdício de recursos. 

Melhor aproveitamento do time de RH

O olhar estratégico e o uso do business intelligence na tomada de decisão é um grande diferencial para o time de RH, em especial para quem busca um melhor posicionamento no mercado. O processo de people analytics pode, além de cortar excessos, direcionar melhor o trabalho do departamento. 

Ações transformam-se em números

O people analytics também possibilita um melhor acompanhamento do retorno sobre o investimento das ações direcionadas para os colaboradores. Assim, é possível visualizar, na prática, os benefícios atingidos por cada nova estratégia do time de RH.

Desvantagens do uso de people analytics

Riscos legais

Nos dias de hoje, a coleta e a análise de dados merecem o dobro de atenção por parte das organizações. Isso porque todo processo que envolve os dados pessoais de clientes deve respeitar a legislação. Qualquer falta de atenção por parte do time de people analytics pode resultar em processos e problemas legais para a empresa.

Longo prazo

Ao contrário do que muitos acreditam, o people analytics trata-se, na verdade, de uma estratégia de médio/longo prazo. Ou seja, os resultados não são imediatos e o processo pode levar meses (ou até anos) para trazer resultados positivos para a organização. Assim, se você tem pressa, talvez essa não seja a melhor metodologia para você.

Tecnologia a seu favor

Neste artigo você viu como o uso do people analytics pode contribuir com a sua empresa. Mas além dessa tecnologia, o mercado oferece muitas outras para melhorar o dia a dia do time de RH. O Escala se encaixa nessa categoria, destacando-se como uma solução que otimiza a gestão de escalas e espaços de trabalho. Com sistema em nuvem, a plataforma reduz custos e melhora a produtividade. Nos escreva e conte como podemos ajudar o seu negócio!

Conteúdos Relacionados

Raphael Tavares

Com 20 anos de experiência no mercado de tecnologia e marketing, Raphael Tavares é o chief revenue officer (CRO) do Escala. É responsável pela integração dos times de Marketing, Vendas e Customer success (CS) da empresa.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.