home office

Que a pandemia, ocasionada pelo novo coronavírus, mudou completamente o cenário das empresas no Brasil, você certamente já sabe. Porém, o que você não sabe é que, além de devidamente regulamentada pelos órgãos do trabalho, esta modalidade de trabalho home office, caracterizada pelo exercício das tarefas diárias fora da dependência da empresa, veio para ficar.

O modelo de trabalho, também chamado pelo nome de teletrabalho, foi regulamentado pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) em 2017. Embora pouco popular no Brasil, antes da pandemia, o Home Office já era aplicado por inúmeras empresas, brasileiras e estrangeiras, há décadas. Considerado um modelo de trabalho bastante econômico, e até produtivo, o Home Office se popularizou com o início da quarentena e continua em destaque, mesmo com o aparente regresso do coronavírus em alguns estados. 

Dentre as principais vantagens em trabalhar em Home Office, pesquisas apontam, com exclusividade, a eliminação de gastos com o deslocamento dos colaboradores, a mobilidade para trabalhar em diferentes ambientes e localidades, bem como a possibilidade de trabalhar mais à vontade, no que diz respeito à vestimenta, horário de almoço, entrada e saída, entre outras. 

Veja a seguir o que a reforma trabalhista diz sobre o Home Office e as principais regulamentações desta nova modalidade de trabalho.

Home Office: o que é?

O Home Office que, em sua tradução literal, significa “escritório em casa” e também é popularmente conhecido como trabalho remoto, trabalho à distância ou, até mesmo, teletrabalho, é um modelo de trabalho flexível e que tornou-se uma verdadeira tendência mundial com a disseminação do novo coronavírus.

Basicamente, esta modalidade permite que o colaborador desempenhe suas atividades de qualquer lugar do mundo, desde que disponha de ferramentas como, por exemplo, um telefone, computador e conexão à internet. 

A prática, que tem ganhado cada dia mais adeptos, já era popular nos Estados Unidos há décadas e tornou-se um marco no Brasil, a partir da imposição governamental de isolamento social. 

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades, inclusive, revelou que 45% das empresas brasileiras já possuem colaboradores trabalhando em “Home Office” e que outras 15% estão avaliando a implementação da modalidade para todos os seus setores administrativos. 

Os impactos do Home Office para minha empresa

O Home Office se tornou uma tendência mundial. Aparecendo como um modelo de trabalho que oferece não só maior autonomia e flexibilidade, mas que também permite mais tranquilidade e qualidade de vida para os colaboradores, essa jornada tende a fazer parte do “novo normal” pós-pandemia.

O modelo de trabalho Home Office, conhecido também como trabalho remoto, mostrou-se bastante positivo para as organizações brasileiras.

Afinal, além de ter quebrado barreiras geográficas, o Home Office também atestou que, em casa, os colaboradores ficam mais concentrados e tendem a utilizar o tempo que seria gasto com o deslocamento, em atividades relacionadas ao trabalho. 

O uso de plataformas de videoconferência também tornou as reuniões, que costumavam ser massivas, mais objetivas.

O Home Office também provou que, atuar a distância, tem estimulado, inclusive, que os colaboradores sejam mais independentes, disciplinados e auto gerenciados.

De modo geral, o Home Office tem impactado as empresas no Brasil e no mundo e destacado-se, cada dia mais, como uma modalidade de trabalho do futuro que veio para ficar e que terá tida como diferencial competitivo entre empresas que buscam contratar e reter os melhores talentos.

As vantagens do Home Office para empresas e colaboradores

São inúmeras as vantagens proporcionadas pelo Home Office para empresas e também para os seus colaboradores. 

Conheça a seguir, as principais vantagens do Home Office para as empresas, segundo um estudo realizado pelo Indeed: 

Redução de até 50% na taxa de absenteísmo:

Uma ausência aqui outra ali, atrasos recorrentes… que empresa nunca  passou por isso com seus colaboradores? Com a jornada de trabalho flexível, no entanto, é possível diminuir os gastos com os atrasos e faltas.

Isso porque a questão logística, de deslocamento e transporte do colaborador, não será mais um problema.

Com autonomia para fazer home office, a produtividade aumenta e os problemas com atrasos e absenteísmo diminuem.

Redução de até 50% com custos operacionais:

Empresas que adotam uma jornada de trabalho flexível podem também reduzir seus custos, visto que ao abrir mão do trabalho diário no escritório, a empresa também diminuirá os custos com energia, internet, água, entre outras despesas.

Sem contar que os valores gastos com o transporte dos colaboradores é também bastante reduzido, uma vez que num modelo de trabalho flexível, ele não precisará se deslocar para a empresa diariamente. 

Redução de até 52% na taxa de turnover: 

O turnover ou rotatividade de pessoal em uma organização, é um grande desafio para empresas de diferentes segmentos e pode ocorrer por diferentes motivos como, por exemplo, desalinhamento com a cultura, falta de reconhecimento ou de oportunidades, sobrecarga profissional, conflitos com a gestão e até desgaste físico e emocional.

Com a implementação do Home Office, no entanto, o colaborador tem mais liberdade para desempenhar suas atividades e evitar conflitos diretos com a liderança ou com o time, além de abster-se da sobrecarga emocional geralmente presente nos escritórios. 

Redução de até 31% nos custos com benefícios: 

Por meio do Home Office, as organizações também economizam com benefícios como, por exemplo, o vale-transporte e o vale-combustível.

Pois, sem a necessidade de o colaborador comparecer todos os dias no escritório, a área de Recursos Humanos pode realizar novos cálculos e oferecer benefícios que façam sentido dentro da modalidade de trabalho como, por exemplo, aulas online, vale-alimentação, etc.

Aumento de até 57% em engajamento: 

O Home Office também torna os colaboradores mais engajados.

Pois é, acredite se quiser. Ao contrário do que muitas organizações acreditam, por meio da tecnologia, os colaboradores tornam-se mais próximos de seus times.

Veja também as principais vantagens do Home Office para os colaboradores:

Mais liberdade e satisfação:

Todos os colaboradores, de um modo geral, almejam que a organização para qual trabalham, demonstre confiança em seu trabalho. 

O modelo de trabalho Home Office nada mais é, portanto, do que um reflexo do bom relacionamento do colaborador com a empresa, quando a empresa pode confiar que o colaborador vai cumprir seu trabalho e o colaborador, que a empresa irá continuar a cumprir com os seus deveres e obrigações para com ele, mesmo à distância.

Liberdade e autogestão fazem parte da jornada de trabalho Home Office. O resultado da estrutura desse relacionamento de confiança aumenta, portanto, é uma maior satisfação dos colaboradores.

Conciliação da vida pessoal e profissional:

Um dos grandes desejos que permeiam a vida dos colaboradores é o de conseguir conciliar vida pessoal com profissional. 

O modelo de trabalho Home Office torna isso possível, pois permite ao colaborador mais tempo para organizar seu dia a dia. Isso porque, sem a obrigatoriedade de comparecer diariamente ao escritório, ele pode resolver questões pessoais, sem que isso possa interferir no seu trabalho.

Dessa forma, ele se vê mais feliz e satisfeito, por não precisar abdicar da sua vida pessoal em consequência das suas responsabilidades de trabalho. 

É muito mais cômodo:

Trabalhar em Home Office também é muito mais cômodo para o colaborador, pois por não ser preciso deslocar-se diariamente até a empresa, utilizar transportes públicos ou desperdiçar horas da sua vida num engarrafamento, todo esse tempo que seria inútil, pode se tornar em horas de trabalho mais produtivas para ele.

Resulta em maior qualidade de vida: 

Ao economizar tempo com o deslocamento diário, seja para ir para o trabalho ou para almoçar, o colaborador pode aproveitar para melhorar a própria qualidade de vida por meio da prática de esportes, passeios, mais tempo com a família, estudar outros idiomas, etc. 

É mais econômico:

Tanto para o colaborador, quanto para a organização empregadora, o Home Office representa mais economia. Afinal, por meio desta nova modalidade de trabalho, diversos gastos podem ser reduzidos como, por exemplo, manutenção do ponto comercial, alimentação em restaurantes, transporte, etc.

Oferece maior conforto:

Além de tudo, com o Home Office o colaborador tem ainda todo o conforto que sempre quis em seu escritório: organizar o ambiente da forma que preferir e propiciar para si mesmo muito mais conforto.

O que a reforma trabalhista diz sobre o Home Office?

O Home Office não integrava, até pouco tempo atrás, a Consolidação das Leis do Trabalho e figurava, portanto, como um tipo de exercício informal de trabalho.

Com a mudança na estruturação da legislação trabalhista, no entanto, o teletrabalho passou a ser incorporado como um novo tipo de prestação de serviços, obtendo, assim, todo o suporte regulatório necessário. 

Assim, as mudanças trabalhistas, validadas pela reforma trabalhista, tem o objetivo de acompanhar as contínuas transformações tecnológicas propostas, adequando à legislação também às atuais práticas modernas de trabalho. Dentre os principais impactos da reforma trabalhista no Home Office, estão:

  • O colaborador tem liberdade para o cumprimento de suas atividades dentro de sua própria disponibilidade de horários (em alguns casos)
  • Mesmo se não houver definição específica para a jornada de trabalho no Home Office, a reforma trabalhista diz que o regime de trabalho também deve ter o cumprimento limite de 220 horas por mês e 44 horas semanais.
  • O trabalho home office deverá ser devidamente formalizado através de um contrato entre a empresa e o empregado. O acordo precisa conter todas as especificações de realização do trabalho, além do esclarecimento de custos para sua produção.
  • É preciso também que seja delimitado de forma clara, no contrato, se o trabalhador será contratado apenas em home office ou parcialmente, assumindo parte do trabalho presencialmente. O contrato misto poderá ser igualmente acordado, determinando dias de cumprimento de horas dentro da empresa e outros no teletrabalho.
  • Por fim, é possível que o contrato seja alterado: o regime de trabalho remoto pode tornar-se jornada normal ou vice-versa. Nesse caso, é preciso que a empresa comunique ao empregado com uma antecedência mínima de 15 dias sobre a mudança, para que o trabalhador possa se adaptar à nova forma requisitada.

O modelo de trabalho Home Office, como você pôde conferir acima, é bastante diferente da jornada de trabalho tradicional. Assim, não cabem nem as mesmas cobranças dos colaboradores, nem os mesmos processos. É importante que o seu time de Recursos Humanos esteja, portanto, por dentro de todas essas regulamentações para garantir os direitos e deveres de ambos os lados.

Passo a passo para a implementar o Home Office na sua empresa

Sabendo dos benefícios que a jornada de trabalho Home Office pode oferecer para a sua empresa, é necessário atentar-se a alguns pontos antes de implementá-la. Para te ajudar nesse desafio, o nosso blog trouxe um passo a passo completo:

1 – Defina as principais regras e normas do Home Office: estabeleça diretrizes para o trabalho: quais serão os cenários permitidos? Por quais canais o colaborador precisará oficializar o pedido? Quantas vezes por semana ele poderá fazer o trabalho remoto? A inserção e definição de regras mostrará para os colaboradores que, mesmo remoto, o trabalho segue sendo um compromisso sério e firmado com a organização. 

2 – Avalie quais setores podem adotar esse modelo: já que em alguns casos como, por exemplo, no setor hospitalar, ou em áreas que o contato presencial diário com o cliente exige a presença do colaborador na empresa, esse modelo pode não se encaixar.

3 – Formalize a proposta de trabalho Home Office: a partir daí, é necessário criar a proposta e expor o benefício a todos os colaboradores, de forma que eles possam optar por aquilo que mais faça sentido para eles. Formalize também a jornada de trabalho remoto junto ao sindicato, de modo a evitar problemas futuros.

4 – Adote um controle de escalas: embora não seja possível exigir o controle de ponto, neste modelo de trabalho, é possível organizar as escalas de trabalho por meio de um app. As escalas podem dizer, por exemplo, em quais dias os colaboradores estarão em Home Office e em quais dias estarão na empresa. Podem ser anotados também os horários, por meio da função “check in” do Escala Plantões, para que o seu time de Recursos Humanos possa efetuar os pagamentos devidamente.

A plataforma de gestão de escalas para tornar o “back to work” mais seguro

Cada vez mais, a dependência de escritórios físicos diminui, enquanto se intensificam as relações pelas mídias e ferramentas de comunicação digitais.

O que acontece, com o trabalho remoto em alta e até mesmo previsto na Reforma Trabalhista, é uma reconfiguração dos escritórios corporativos. Agora, eles são reservados para empresas que operam sob demanda, ou seja, pagam para usar quando precisam e do jeito que for mais conveniente. 

Agora que você já sabe o que a reforma trabalhista diz sobre o Home Office, quais os seus benefícios e como implementá-lo, é hora de conhecer a solução de “back to work” desenvolvida pelo Escala App. 

A solução, criada para garantir a rotatividade e o rodízio dos colaboradores nos setores físicos da empresa, permite a criação de escalas de trabalho eficientes para um retorno gradual às instalações físicas por meio de uma interface web.

Ficou curioso e gostaria de conhecer a plataforma? Acesse o nosso site e confira.

Ver mais

Leave a Comment

Últimas postagens

Saúde mental do trabalhador
Futuro dos escritórios: os novos espaços de trabalho
Experiência do colaborador

© 2020 Escala – Powered by Hospital Israelita Albert Einstein

Baixe o Jornadas

Baixe o Plantões