5 formas de adotar a flexibilidade no trabalho

Publicado em 4 julho, 2022

Atualizado em 10 agosto, 2022 | Leitura: 6 min

Segundo uma pesquisa feita pela rede social LinkedIn e divulgada pelo G1, a chegada da pandemia de covid-19 fez 78% dos profissionais brasileiros desejarem ou necessitarem de alguma flexibilidade no trabalho. Tanto é que em muitos casos essa postura mais flexível partiu dos próprios empregadores, já que o distanciamento social e a reestruturação da sociedade demandaram uma maior desburocratização de regras. O levantamento, inclusive, informa que 23% dos entrevistados permaneceriam mais tempo em um emprego mais flexível.

Mas o que é exatamente essa flexibilidade no trabalho? Como ela pode gerar mudanças positivas? Entenda.

Profissão foto criado por freepik - Homem sentado na cadeira no home office se espreguiçando
Imagem: Freepik

O que é flexibilidade no trabalho

Flexibilidade no trabalho é a oportunidade conferida por um empregador para que o colaborador tenha mais liberdade de escolher como vai executar sua função. Ao fornecer uma alternativa ao formato rígido e tradicional do trabalho presencial, da carga horária fixa e demais burocracias, o empregador faz uma aposta no funcionário, conferindo-lhe autonomia em troca de desempenho.

Horário e local de trabalho, rotina, férias, folgas e benefícios são pontos que podem ser afetados pela flexibilidade de trabalho, a depender das características de cada empresa. Mas vale pontuar que essa flexibilização também exige da empresa alguma reformulação, já que abre as portas para a criação de um novo modelo de gestão, afinal de contas o funcionário que tem mais liberdade, naturalmente, carrega consigo mais responsabilidade.

Por que a flexibilidade no trabalho está em alta

O avanço da tecnologia e as mudanças socioeconômicas mundiais abriram essa possibilidade de adaptar rotinas. Mas não estamos falando de um fenômeno tão recente assim… O próprio home office, tão impulsionado pela pandemia, é citado na CLT desde 2017, após a reforma trabalhista. Mas até pelo contexto que a pandemia trouxe, ganhamos novas regras sobre o teletrabalho na legislação nos últimos anos.

E tem mais. Termos como casual day (um dia para se vestir de maneira casual) e short friday (a prática de ir pra casa mais cedo às sextas-feiras, depois de compensar essas horas no resto da semana) há muito foram incorporados ao dialeto do trabalhador junto do home office, hot desking, coworking (modelos de compartilhamento de espaços de trabalho) e tantos outros… 

E como exemplos mundo afora vêm mostrando, a flexibilidade no trabalho é um ganho para empregadores e empregados. Nada como otimizar processos com a ajuda da tecnologia, descomplicar a rotina corporativa e ganhar tempo para o que realmente importa! Essas práticas reduzem custos, trazem mais produtividade e a tendência são resultados ainda melhores, com funcionários satisfeitos.

Banner gestão de pessoas

Como adotar a flexibilidade no trabalho

Há algumas formas para fazer isso, veja sugestões.

Carga horária e local

Essa é possivelmente a alteração mais sensível para o funcionário. Abrir mão da rigidez de horário e local de trabalho permite que cada um personalize sua rotina, de modo a integrá-la melhor à vida pessoal.

Ao trabalhador, cabe cumprir sua jornada de trabalho e carga horária previamente estipuladas em contrato. Porém, a empresa pode adotar uma postura mais flexível em casos, por exemplo, em que o funcionário queira adiantar o horário de início e para sair mais cedo e aproveitar algum compromisso no fim da tarde.

O mesmo vale para o local de trabalho. Há quem prefira a segurança do escritório e há quem goste mais do conforto do lar. É possível, até, variar: home office em épocas de menor fluxo de trabalho ou em dias de mais trânsito na cidade, por exemplo, adotando um modelo híbrido bem flexível.

Esse formato, além de aumentar a autonomia e a segurança para o empregador, pode reduzir faltas e atrasos, além de gerar benefícios de longo prazo, como o impacto na motivação e na saúde mental.

Leia mais: Controle de jornada de trabalho: 4 formas de fazer

Processos agilizados

Processos internos são as atividades que acontecem dentro de uma empresa para que ela alcance o objetivo a que se propõe. Em um formato flexível de trabalho, eles devem ser ágeis de modo a maximizar o tempo que será organizado por cada funcionário.

É o caso de reuniões curtas, que podem ser feitas aproveitando recursos tecnológicos como as plataformas digitais tão popularizadas durante a pandemia da covid-19. Reduzir as equipes para esse contato direto e fazer acompanhamento por meio de fóruns virtuais também pode ajudar.

Leia mais: 6 ferramentas para aumentar a produtividade no home office

Hierarquia diluída

Se a ideia é dar autonomia, por que não envolver mais pessoas na tomada de decisão, com a redução da distância entre líderes e liderados? Engajar funcionários em diferentes níveis do processo de trabalho, desde que sejam compatíveis com a função, pode atender a esse objetivo.

Ao ouvir a opinião de quem, de fato, executa a função, o gestor abre seu campo de visão e valoriza os funcionários, que por sua vez passam a ter um approach mais global do que acontece no ambiente de trabalho.

Carreira profissional foto criado por pressfoto - Homem mexendo no laptop na cafeteria e sorrindo
Imagem: Freepik

Benefícios personalizados

A flexibilidade no trabalho também pode passar pelos benefícios oferecidos. Com a chegada da pandemia, algumas empresas ofereceram incentivos para que os funcionários aperfeiçoassem a estrutura dos seus escritórios em casa, como com a oferta de cadeiras confortáveis ou permitindo o empréstimo de suas sedes, uma medida que influi diretamente na produtividade.

Parcerias com redes de coworking (para que o trabalho remoto seja feito em outros locais que não o home office, se necessário ou desejado) e benefícios de internet e telefonia são outras alternativas.

Descentralização do escritório

Todas essas dicas vão fatalmente gerar um processo de descentralização do escritório. Será possível estabelecer fluxos de trabalho personalizados e executáveis de qualquer lugar. Abre-se até a possibilidade do chamado anywhere office: com um dispositivo eletrônico e internet, o colaborador vai poder, literalmente, trabalhar de qualquer lugar do mundo.

Uma das formas tecnológicas de fazer essa gestão é utilizando o Escala Espaços, uma plataforma por meio da qual é possível gerenciar o revezamento e compartilhamento de posições do escritório, otimizar recursos e infraestrutura. Isso diminui problemas com deslocamento e oferece autonomia para os funcionários, melhorando o seu bem-estar e segurança.

Conteúdos Relacionados

Tatiane Quintiliano

Especialista em escalas de trabalho nos modelos mensalista e horista, acumula mais de 20 anos de experiência em recursos humanos (RH). Tem passagem por multinacionais de grande porte e hoje é a coordenadora de Gente e Gestão do Escala.
Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

"Eu não tenho mais vai-volta de planilha de Excel, onde a chance de você perder informação é gigantesca. "

Marcio A. Oliveira

Coord. Processos e Operações MDA - Hospital Israelita Albert Einstein